20 de maio de 2009

....a cada dia...


...situações novas surgem, sendo boas ou preocupantes porém nos ajudam a crescer.

A primeira foi com o Jota, me propondo um negócio. Isso aconteceu no início do mês, onde ele colocou que " CAPACIDADE VC TEM, BASTA QUERER FAZER".
Bem, fiz uma, duas e senti que realmente posso me dedicar ao artesanato ( de todas as formas) com mais amor e prazer nas horas vagas, mesmo trabalhando fora.

A outra situação aconteceu na terça-feira, me tornei responsável por situações que não são minhas mas que a pessoa me depositou total confiança, ou melhor, MOSTROU QUE CONFIA EM MIM!

Entretanto, quem me ensinou a ser dessa forma (digna de confiança) foi a própria pessoa que me escolheu. Confesso que fiquei tremendo, com dor de barriga, alguns sintomas estranhos me deixaram sem dormir.

Precisamos compreender que VIDA É VIDA e TEMPO É TEMPO.


Obrigdo João e obrigado " Pessoa querida"

14 de maio de 2009

...mães...



...Amigas, deixo meus parabéns para essas mães "blogueiras", amigas maravilhosas! Deixo um abraço apertado também para as "blogueiras",amigas maravilhosas que não são mães ainda mas que para as amigas "blogueiras" são tal qual uma mãezona. Bjkas a todas....

11 de maio de 2009

...Vai virar mar...


http://einsteinnjr.files.wordpress.com/2008/06/sertao.jpg


Nos últimos dias tenho " sentido " muito a música do Sá e Guarabira... Sobradinho.

Quando era mais nova, imaginava o sertão virando mar....
Um lugar seco onde pessoas, animais viviam morrendo por falta dágua.
Hoje, não consigo me esquecer do refrão da música...afinal diz tudo.

Sobradinho

O homem chega e já desfaz a naturezaTira a gente põe represa, diz que tudo vai mudar
O São Francisco lá prá cima da Bahia
Diz que dia menos dia vai subir bem devagar
E passo a passo vai cumprindo a profecia
Do beato que dizia que o sertão ia alagar
O sertão vai virar mar
Dói no coração
O medo que algum dia
O mar também vire sertão
Vai virar mar
Dói no coração
O medo que algum dia
O mar também vire sertão


Na na na na na
Na na na na na

Adeus remanso, casa nova, sento-sé
Adeus pilão arcado vem o rio te engolir
Debaixo d'água lá se vai a vida inteira
Por cima da cachoeira o gaiola vai subir
Vai ter barragem no salto do Sobradinho
E o povo vai se embora com medo de se afogar

O sertão vai virar mar
Dói no coração
O medo que algum dia
O mar também vire sertão
Vai virar mar
Dói no coração
O medo que algum dia
O mar também vire sertão
O sertão vai virar mar
Dói no coração
O medo que algum dia
O mar também vire sertão


Virou

Na na na na na
Na na na na na
Na na na na na